O que é Machine Learning? Como esta tecnologia pode otimizar sua operação?

Assim com muitos termos relacionados a tecnologias de Data Science e Inteligência Artificial, muitos mitos e construções generalistas rondam o entendimento acerca das técnicas de Machine Learning. O Machine Learning compreende uma série de algoritmos de Inteligência Artificial, que visam melhorar processos/ interações através da experiência, como num processo de aprendizagem. O Machine Learning, portanto, foca no desenvolvimento de programas de computador que acessam os dados e os utilizam para aprender por si só.   

A tecnologia de Machine Learning permite que uma quantidade massiva de dados seja analisada, gerando resultados mais rápidos e acurados, a fim de identificar oportunidades e mitigar riscos.   

Assim como no caso do 5G e do IoT, a nuvem proporciona um espaço de latência e elasticidade variadas para a implementação de estratégias de Machine Learning, uma vez que estamos lidando com fontes variadas e combinadas de dados a todo momento.  

O Machine Learning já está presente em nossas vidas, como por exemplo, através das assistentes Siri e Alexa, que se utilizam de nossas preferências históricas para fazerem ajustes, oferecerem sugestões e atualizações. Aplicativos como o Waze, por exemplo, utilizam do aprendizado das máquinas para prever o tempo de congestionamentos – interligando dados enviados por milhares de usuários ao mesmo tempo e fontes históricas associadas às localizações.  

De forma simplificada, o Machine Learning opera através do entendimento das experiências dos usuários. Por isso, a técnica, interligada com algoritmos de Big Data, é amplamente utilizada nas redes sociais, oferecendo sugestões de páginas associadas aos nossos perfis de navegação, amigos que talvez conheçamos e produtos que provavelmente nos interessam. O interessante, aqui, é perceber o potencial da combinação das tecnologias emergentes e derivadas da Inteligência Artificial, atuando em prol de uma experiência do usuário cada vez mais personalizada.   

Segmentos como o de transportes, por exemplo, já utilizam de Machine Learning para identificar padrões nas rotas de entrega, prever situações de desgaste nos meios de transporte e prevenir acidentes, atrasos e aumentar a eficiência.  

Como, então, sua empresa pode se beneficiar de operações de dados voltadas para a utilização de Machine Learning?  

  • Manutenção preditiva  

A possibilidade de prever acidentes ou desgastes na linha de produção é algo de extremo valor às indústrias de manufatura, por exemplo. Entre outras situações, as manutenções preditivas permitem que os gerentes organizem o cronograma da operação de acordo com períodos de desgaste e janelas de trabalho síncrono otimizado – aumentando, assim, a eficiência e diminuindo o custo de reparos inesperados.  

  • Segurança de redes  

A tendência é que, com a ampla adoção de Machine Learning no mercado, muitas empresas cruzem os dados provenientes de suas redes de computadores com os dados advindos de sensores operacionais (IoT), para fins de impulsionamento de colaboração e aumento da confiabilidade dos dados que fluírem entre as redes.  

  • Construção de uma cadeia de suprimentos altamente conectada  

A logística é um dos pontos mais vitais das operações no segmento de manufatura; entre o gerenciamento de inventário e o estabelecimento de uma conexão eficiente entre compradores e vendedores, planejamento e gestão de frota, entregas e coletas, perda de mercadoria e possibilidades de aumento de eficiência, o Machine Learning promete interconectar pontos que, hoje, ou são geridos de forma espaçada por softwares não interligados, ou ainda operam de forma analógica.   

  • Controle de qualidade e mensuração de eficiência de equipamentos  

Disponibilidade, performance e qualidade. O ciclo de depreciação e novas aquisições de equipamentos, em indústrias manufatureiras, pode impactar todo o negócio quando tratado como uma variável volátil ou não-estratificada. Através do Machine Learning é possível entender os ciclos de disponibilidade dos equipamentos, prevendo perdas e antecipando cenários.  

E ai, sua empresa já está pronta para a revolução dos dados? Você, gestor ou analista, está por dentro das possibilidades de otimização do seu ambiente de TI? A TI da sua empresa entrega resultados palpáveis para todo o negócio?  

Para qualquer “não” que tenha aparecido nas perguntas acima, nossos consultores estão à disposição para direcioná-lo nessa jornada rumo a transformação digital.  

Por Amanda Ramalho, Business Intelligence na SGA.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *